Profissionais da área da saúde: Atuar como Pessoa Física ou Abrir uma Empresa? O que é mais vantajoso?


Profissionais da área da saúde

 Atuar como Pessoa Física ou Abrir uma Empresa? O que é mais vantajoso?

 

Dia a dia, esta dúvida paira na mente dos profissionais da área da saúde, o que é mais vantajoso? Atuar como pessoa física no mercado ou abrir uma empresa?

Para poder ajudar, vamos responder esta questão demonstrando as diferenças financeiras encontradas em cada uma das opções:


 Médico como Pessoa Física

Nesta modalidade, os profissionais pagam o imposto de renda uma vez ao ano, entretanto o valor do posto é de até 27,5% sobre o seu faturamento anual. Caso o profissional faça pagamento mensal do carnê leão, ele poderá deduzir algumas despesas operacionais sobre o faturamento, como salários, aluguel e outros. Entretanto o gasto ainda é muito alto.

 

Médico como Pessoa Jurídica

Nesta modalidade, os profissionais terão uma redução significativa nos impostos. Entretanto é necessário estar atento, pois como pessoa jurídica o médico empresário poderá optar por diferentes tipos de tributação. Dentre os tipos de tributação, os mais utilizados tem sido o lucro presumido ou o simples nacional.

Optando pelo Lucro Presumido, o médico deverá pagar uma alíquota em torno de 13,33% sobre o faturamento e ainda o ISS, que varia de acordo com a legislação municipal, que varia de 2 a 5% sobre o faturamento.

Optando pelo Simples Nacional, aparentemente o médico gastará mais com os impostos, pois estes correspondem a alíquota inicial de 15,50% sobre o faturamento se  tributada exclusivamente pelo Anexo VI do Simples.

Entretanto, a partir de 2018 a LC 155/2016, alterou o art. 18, §5º-B da LC 123/06, no qual a medicina passou a ser uma atividade tributada pelo Anexo III também, onde a alíquota corresponde a 6% sobre o faturamento. Mas para aderir a este anexo e poder ter esta redução no imposto há uma condição! É necessário que o fator “r”, ou seja, a razão entre folha de salários e a receita bruta dos últimos 12 meses seja igual ou superior a 28% (art. 18, §§ 5º-J, 5º-K, 5º-M, LC 123/06).

Exemplo:

 Folha de salários últimos 12 meses= 33.600,00

Faturamento últimos 12 meses: = 120.000,00

Folha / Faturamento = 33.600,00 / 120.000,00 = 0,28

Obtendo o fator “r” de 0,28 ou mais, a empresa passa a pagar uma alíquota de a partir de 6% no simples nacional.

A questão aqui é como equilibrar para que a empresa permaneça sempre com o fator “r” de 0,28. É neste momento que surge a grande necessidade de contratar os serviços de um escritório de contabilidade que seja especialista na área, e que saiba exatamente como ajudar este cliente a fim de que ele possa economizar com o pagamento de tributos, podendo assim obter mais lucro e crescimento empresarial.

Diante disso, fica evidente de que para médicos, é mais vantajoso abrir uma empresa pois a economia será bem maior, além do fato de que a maior parte das empresas que contratam médicos hoje em dia, exigem que estes possuam CNPJ e emitam notas fiscais.

Nossa contabilidade trata com muita atenção os profissionais desta área, oferecendo uma análise tributária muito bem elaborada, que demonstre qual das opções será mais vantajosa tanto para um cliente que já possui empresa aberta, quanto para quem deseja abrir.

Caso você tenha empresa aberta ou deseje obter o seu CNPJ, entre em contato conosco para que possamos fazer a análise tributária e te orientar na tomada desta decisão através do formulário a baixo: